11 de fev de 2013

Relacionamento

     Hoje irei falar sobre um assunto que mexe com muita gente. Muitas pessoas não sabem ou acham que sabe o que realmente é um relacionamento de verdade.

     Um relacionamento, na verdade, é resultado do que as partes colocam nele. Cada pessoa contribui com sua porção para a evolução da relação e ajuda a determinar para que direção esta irá evoluir. Da mesma forma, todas as pessoas que estão se sentindo sós estão à procura de alguém para se relacionar, pois esta é condição essencial do ser humano.
     Muitas pessoas já chegaram para mim dizendo: "Eu quero, mas não acho", ou "Meus relacionamentos nunca dá certo, eu não entendo", ou ainda "Sempre acho a pessoa errada", e uma série de frases similares. Mas o que as pessoas não percebem, é que muitas vezes um relacionamento não dá certo por causa delas mesmos, seja de ambas partes, ou uma das partes.
     Geralmente, no começo os relacionamentos podem começar animados, apaixonados e cheios de promessas de felicidade, mas com o passar do tempo começa a ocorrer um acomodamento, vai havendo uma espécie de ajuste da personalidade de cada um e da relação, e como resultado encontra sua própria personalidade, que pode gerar satisfação ou insatisfação para as pessoas envolvidas.
     Numa relação tem que haver basicamente admiração, gentileza, educação, respeito, sinceridade e atração física e intelectual - mútuas. O resultado será companheirismo, amizade, excitação sexual e intelectual e satisfação - mútuas. Quando falta algum desses ingredientes básicos fica sempre a sensação de frustração e, conseqüentemente, gera sentimento de tristeza, decepção ou menosprezo pelo outro, levando ao rompimento do relacionamento ou tentar modificar a relação. Se é escolhida a segunda opção, o que ocorre na maioria das vezes, a partir daí começa uma guerra e não mais uma relação amorosa (que é a proposta inicial). E qual será o resultado? A resposta: Sofrimento.
     Antes de tentar modificar alguém ou sofrer numa relação frustrante é importante entender que cada pessoa tem sua personalidade própria e que todos temos nossos "entendimentos" sobre o que é amor, sobre o que é a vida e sobre o que é relacionamento. 
     E, embora muitas pessoas usem as mesmas palavras para expressar suas necessidades sobre o amor, sobre a vida e sobre relacionamentos, não significa que seus "entendimentos" sobre estas questões sejam semelhantes. E a grande armadilha é que ao ouvir as mesmas palavras, as pessoas acabam acreditando que encontraram quem procuravam, pois "querem" a mesma coisa de um relacionamento. O conflito aparece quando o comportamento do outro não se encaixa com a expectativa. A partir daí, começa as brigas, os desentendimentos, um relacionamento ruim com muita dor e sofrimento.
     É preciso entender que as relações são compostas de, no mínimo, duas pessoas, por isso, estão em jogo dois corações, duas perspectivas e expectativas sobre o relacionamento proposto (crenças e valores) e dois quereres.
    Em um relacionamento é necessário se esforçar para o outro  e  entregar-se, mas nada em exagero, pois é preciso respeitar o espaço do outro. É preciso ceder de vez em quando. Quando não há esse companheirismo, não há relação, pois  ambas partes estão sozinhos e não estão compartilhando uma relação. É a famosa solidão a dois!
     Um relacionamento é entender que para estabelecer companheirismo numa relação é a aceitação um do outro e a sinceridade de ambas partes. E para aceitar o outro como o outro é precisa, primeiramente, aceitar-se a si próprio.
É, principalmente, entender que ninguém, a não ser nós próprios, temos o poder de nos fazer feliz!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CantinhodaAmiga

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...