6 de jul de 2010

Drogas: Uma escolha sua

Por mais que a turma ou alguém especial na sua vida esteja nessa, é a sua palavra que vai valer quando pintar uma oportunidade de usar. E tenha certeza de que esse momento, mais cedo ou mais tarde, vai chegar. Você está preparada para dizer não?



Quando uma história envolvendo drogas está acontecendo com um cara famoso da TV, ou com o primo da amiga da vizinha, é fácil, fácil, julgar. E enxergar de longe que o fulano está entrando numa roubada daquelas. Porém, quando esse enredo que mistura aventura e terror começa a ser representado por pessoas que você conhece bem - e de quem realmente gosta - fica mais complicado decidir qual vai ser o seu papel na trama. Nessas horas, por mais que saiba que as drogas - todas elas! - são capazes de arruinar sua vida, é muito comum se deixar levar pela curiosidade, pela curtição do momento, pela vontade de ser aceita por aquelas pessoas, custe o que custar.
Porém, como a gente sabe que um único vacilo pode resultar num
acidente fatal, ou numa dependência da qual seria difícil se livrar, consultamos alguns especialistas para ajudá-la a ter ótimos argumentos contra todas as investidas da galera que resolveu entrar
nessa onda. Não é fácil dizer não, principalmente quando quem oferece é alguém especial na sua vida. Mas, se estiver bem informada, com certeza você se sentirá 100% segura para dar esse passo, que pode ser um dos mais importantes e decisivos da sua adolescência.




"As drogas vão fazer você viajar e esquecer dos seus problemas."

POR QUE DIZER NÃO: Dependendo da droga, você vai ter mesmo uma sensação de relaxamento, euforia, e pode até experimentar algumas alucinações. Durante o tempo em que durar o efeito, vai se sentir poderosa, mais corajosa do que nunca. O fato é que o barato dura segundos. Quando muito, minutos. E, depois, seus problemas voltarão a ter exatamente o mesmo tamanho. "Na verdade, é provável que após experimentar a droga, a adolescente se sinta pior. Porque, junto com o prazer, sempre vêm prejuízos físicos e emocionais.
Além disso, quem entra nessa, num momento de tristeza e dificuldade, estará muito mais propenso a se viciar do que aquele que topou usar só por curiosidade", explica a psiquiatra Jackeline Giusti, do Ambulatório de Adolescentes e Drogas do Instituto de Psiquiatria do Hospital das Clínicas (FMUSP). Ou seja: basta experimentar uma única vez, para correr o risco de virar escrava. "Não há nenhuma garantia de que, ao usar qualquer droga, a garota não vá se viciar, porque todos os tipos de droga causam dependência. A única maneira segura de se proteger é não experimentar. E isso é uma escolha de cada um", complementa.


"Maconha é natural, não faz tão mal quanto o cigarro."

POR QUE DIZER NÃO: "A maconha é tão 'natural' quanto o cigarro, pois ambos são feitos a partir da folha de uma planta. Isso não quer dizer que sejam inofensivos. As substâncias cancerígenas, por exemplo, estão presentes nas duas drogas", alerta Elizaldo. A droga ainda prejudica a memória , diminui a fertilidade do homem e, na mulher, pode levar a alterações no ciclo menstrual. "O uso prolongado e constante da maconha também pode provocar mudanças de atitude muito prejudiciais na adolescência. Para se ter uma ideia, quinze dias depois de fumar um cigarro desse tipo, a garota ainda sentirá seus efeitos: uma certa moleza, preguiça e desânimo. Com o tempo, esses sintomas se acentuam, e a garota tende a se isolar, a deixar de estudar e a perder totalmente o interesse por outras atividades que não envolvam a droga. As conseqüências vão aparecendo aos poucos; a maconha é silenciosa, porém, pode ser bastante perigosa", alerta Jackeline.


"Experimenta, só hoje!"

POR QUE DIZER NÃO: dependência que, como vimos, existe desde a primeira dose, há a possibilidade de comprometer para sempre a sua saúde e, consequentemente, os seus planos para o futuro. "Uma pessoa que tem problema cardíaco e não sabe, por exemplo, pode ter uma complicação séria se fumar maconha, já que ela acelera o ritmo cardíaco. Com o ecstasy, há riscos de elevação da temperatura corporal e da pressão arterial a níveis muito
altos, o que pode levar a acidentes fatais. Isso sem falar na mudança de comportamento que as drogas promovem. Sentindo-se forte, invencível, é fácil se envolver numa briga, num acidente de trânsito ou em outra confusão do tipo. Por tudo isso, os perigos existem desde a primeira experiência", alerta o psicofarmacologista. Como se não bastasse, sob o efeito de drogas você estará mais suscetível a se envolver com um cara que nem conhece, fazer sexo sem camisinha, contrair uma doença e, ainda, engravidar. Exagero? Não, se você imaginar que estará meio fora de si, sem condições de refletir sobre o que está fazendo.


"A gente usa drogas só de vez em quando, não somos dependentes. Você também pode experimentar e parar quando quiser."

POR QUE DIZER NÃO: O que não faltam são zilhões de pesquisas demonstrando que esse blábláblá é história pra boi dormir! Na real, o papo é bem outro. "Todas as drogas causam dependência e, com o tempo, é preciso aumentar cada vez mais as doses para se conseguir o mesmo efeito. A pessoa não tem consciência disso, ninguém se vicia por querer. Mas, com o uso, acaba acontecendo. Até que, em alguns meses ou anos, ela tenta parar, e começa a sentir aquela vontade incontrolável de usar, que é o que nós chamamos de "síndrome da abstinência". Aí, percebe que, por mais que aquilo lhe faça mal, não consegue viver sem", explica Jackeline. Daí pra frente, as histórias são as mais trágicas: a adolescente começa a abrir mão do convívio com a família, com os amigos, esquece a escola e todos os seus sonhos. É um caminho, muitas vezes, sem volta.


"Se você fumar dois ou três cigarros por dia, não pega nada..."

POR QUE DIZER NÃO: Basta fumar apenas um cigarro por dia para aumentar os riscos de sofrer de doenças como pneumonia, câncer (de pulmão, laringe, faringe, esôfago, boca, estômago, etc.), infarto, bronquite, enfisema pulmonar, derrame e úlcera. Por causa da nicotina, também podem surgir náuseas, dores abdominais, dores de cabeça, entre outros sintomas desagradáveis. Além disso, quem começa fumando dois ou três cigarros por dia dificilmente continuará se satisfazendo com essa mesma quantidade por muito tempo. "A nicotina é altamente viciante, uma das drogas mais difíceis de deixar. Para piorar, ela provoca no organismo algo que chamamos de tolerância. Ou seja: será preciso fumar cada vez mais para sentir bem-estar", explica a psiquiatra Jackeline Giusti. Isso sem falar no horror que os cigarros fazem com a aparência: a pele fica seca e sem brilho, os dentes, amarelados, as mãos cheiram a nicotina, a quilômetros de distância... Desse jeito, não há pretê bem-intencionado que aguente!


"As drogas ajudam a perder a timidez e a se soltar mais."

POR QUE DIZER NÃO: É pura verdade que alguns tipos de drogas vão deixála mais desinibida. Em alguns casos, extrovertida até demais - o que pode render muuuitos micos. E aí, em vez de ficar bem na foto, você vai é torrar o seu filme com a galera! Mas esse não é o único motivo para não se render ao argumento. "Com o tempo, a adolescente pode acabar desenvolvendo uma dependência perigosa: só conseguirá fazer amigos e se aproximar de meninos quando estiver sob o efeito de alguma droga. Então, na verdade, não está ganhando, está perdendo. Além de não vencer a timidez de um modo efetivo, estará trazendo um problema enorme para a sua vida, que terá de resolver mais tarde", alerta Jackeline. Então, que tal encarar essa sua limitação e procurar ajuda especializada? Pode ser uma terapia, um curso de dança, teatro ou música. São maneiras saudáveis de lidar com a timidez - e que realmente funcionam!


"Rave sem ecstasy não tem graça!"

POR QUE DIZER NÃO: "O comprimidinho é capaz de liberar toda a serotonina que o organismo tem nas terminações nervosas, trazendo uma incrível sensação de alegria e bem-estar. Só que o "efeito rebote" é terrível: na sequência, a adolescente vai sentir tristeza, angústia e sensação de vazio, porque zerou todas as reservas daquela substância no organismo", explica a psiquiatra. Ela conta que atendeu um paciente com sérios problemas psicológicos, causados pela ingestão de meio comprimido, apenas. "Ele desenvolveu síndrome do pânico", diz. O risco de depressão, pela abstinência, também existe. "Como o ecstasy acelera o ritmo cardíaco, aumenta a pressão e a temperatura corporal, há, ainda, o perigo de passar mal na balada, desmaiar, e até de sofrer complicações fatais ao usar essa substância", alerta a especialista.


"Seus pais nunca vão ficar sabendo."

POR QUE DIZER NÃO: É impossível prever o efeito de uma droga no seu organismo, por mais inofensiva que ela pareça. "Com as drogas, não há nenhum tipo de controle de qualidade, e você nunca sabe se as substâncias químicas que está ingerindo são mesmo as prometidas pelo sujeito que as fez chegar até as suas mãos", adverte Jackeline. No caso das drogas permitidas, uma bobeada pode levá-la ao hospital. Afinal, quem não conhece uma garota que passou mal na balada, de tanto beber, e foi parar no pronto-socorro, para tomar glicose na veia? No caso das ilícitas, além dos riscos para a saúde, há ainda o perigo de ir parar na delegacia. E para explicar isso, em casa? É o tipo de coisa que manda por água abaixo anos e anos de um bom relacionamento com os pais, construído à base de muita negociação. Pode ter certeza de que, ao pegar você num flagra desses, reconquistar a confiança da família vai dar um trabalho daqueles! Não vale a pena arriscar, né?

ELES DISSERAM SIM... ...e se deram muito mal!

Lindsay Lohan: A atriz, linda e reconhecida por filmes de sucesso como Sorte no Amor e Meninas Malvadas, acabou pegando pesado com as drogas e, por conta disso, foi presa e internada diversas vezes em clínicas de reabilitação. O que prova que não é nada fácil sair da dependência! Antes de gravar seu último filme, teria assinado um contrato que a obrigaria a fazer testes, semanalmente, para revelar uso de álcool ou de qualquer outro tipo de droga.

Christian Chávez: O integrante da "ex-banda" mexicana RBD foi preso por porte de maconha. O episódio queimou o filme do rapaz, que, segundo boatos, deveria sair da banda para seguir carreira solo. Porém, como o grupo aparentemente miou, ficou tudo por isso mesmo.

Fábio Assunção: O galã teve que ser afastado no meio das gravações da novela Negócio da China, no ano passado, para se internar em uma clínica de reabilitação. Na trama, era um dos protagonistas, ao lado de Grazi Massafera. Por causa das drogas, ele estava deixando de comparecer aos seus compromissos profissionais. Fábio retomou a carreira protagonizando, em janeiro, a minissérie Dalva e Herivelto - Uma Canção de Amor.

Heath Ledger: Indicado ao Oscar em 2006, por O Segredo de Brokeback Mountain, e bombando como o coringa do filme Batman: O Cavaleiro das Trevas, o ator teve sua carreira subitamente interrompida por um trágico acidente. No começo do ano passado, aos 28 anos, foi encontrado morto em seu apartamento, graças a uma overdose de comprimidos. Os remédios foram encontrados ao lado do corpo de Heath.

Se você já entrou nessa...
A dica dos especialistas é: procure ajuda para pular fora, o quanto antes. "Converse com um adulto em quem você confie, explique o que está acontecendo, e deixe bem claro que quer parar, mas, sozinha, não sabe como fazer isso. Um tratamento psicoterápico ou psiquiátrico vai ajudá-la a reaprender a viver sem drogas, o que não é fácil sem o apoio de um profissional especializado", indica Jackeline. Durante o tratamento, os médicos podem receitar, ainda, remédios que ajudam a controlar os efeitos da abstinência. Alguns serviços oferecem também um acompanhamento para os familiares. Assim, seus pais vão saber exatamente o que fazer para apoiá-la nesse momento decisivo da sua vida. E da deles.

Direção: CantinhodaAmiga
Fonte: Elizandra Souza, psicanalista.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

CantinhodaAmiga

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...